segunda-feira, 5 de maio de 2008

espero-te



aqui, como sempre.

Nem mais para a esquerda, nem mais para a direita,
nem mesmo na pedra ao lado (que tão colada fica a esta!);
espero-te aqui, como sempre,
porque sei que aqui me vais encontrar mais facilmente;
espero-te aqui, porque foi aqui que sempre ficaste,
que sorriste,
que choraste,
que brincaste comigo,
que segredámos;

aqui,
não por ser o nosso lugar,
mas por se ter feito nosso.

Espero-te,
não por ter esperança,
mas por te dar o benefício da dúvida.

E se um dia voltares
e eu não estiver lá,
vais-te sentar e sentir que estive à espera.

Só por isso, vai(-te) valer a pena.



(@ Castelo de São Jorge, Lisboa, 2008)

4 comentários:

Fabão disse...

ai, cor-de-rosinha, sei lá!
Que romântico! swiff swiff
lol

anastomose disse...

Epah, isto é uma merda para personalizar tudo, por isso escolhi aquele tema que me agradou mais.

(porque não, não sou romântica - ou pelo menos achava isto de mim :P)

Su disse...

gosto das palavras, sabes. gosto, gosto. [*]

Menina Lua disse...

olha, garota: tu tens uma coisa destas e não me dizias nada?! achas bem, achas?! humpf.

(ah, este texto... =$) *